luto

morta a borboleta
preta tem seu peso

mas as outras cores
inda saltam todas vivas

mas as asas soltas
inda posam pra o poema

mas as patas lentas
se balançam sob o vento

leve, a mão infante
leva o bicho inerte
pruma folha verde:
pousa o horizonte

3 comentários:

  1. Cara, acertou no poema mais uma vez... estou encantado com o jogo de palavras e o cuidado.


    Abraço

    ResponderExcluir