ensaio

mastigo as horas
como quem pisa as uvas
do vinho que virá

mas também guardo nisso
o sabor de morder o agora
pois meu labor está
em desfrutar o tempo
até o entorpecer dos signos
tomar a carne
e produzir enfim
(algo) sentido

3 comentários:

  1. Cara gostei muito desse poema. Muito bom mesmo.

    ResponderExcluir
  2. queridos colegas! a atenção de vocês é sempre um privilégio. obrigado! abraço

    ResponderExcluir