pra ver o que há de vir

quando me sinto preso em trânsito
tento encontrar um jeito de...
contentar os olhos atentos
do meu filho, em direito de...

encolher ali seu espanto.
ensino-o a espreitar além do alto:
e se lá houver alguma nuvem?
que se desenhe ou que se mova!

e se a essa hora já for noite?
que haja lua, ainda que nova!
mas se só vier de lá a chuva?

então que mire o chão e descubra
o ESTreLAR dos pingos no asfalto.
(enquanto eu o espero vir ao mundo)

3 comentários:

  1. Não é tão bom assim, quanto parece ser...

    ResponderExcluir
  2. Obrigada Daniel,
    pelo prazer que a sua poesia provoca aos nossos corações.

    ResponderExcluir